Bem - vindo, Belo Horizonte,
Busca:
 
Choose your languague:

FO-HI - O Iching (o Livro das Mutações).

Segundo a tradição, FO-Hi viveu no reino de Xia. Um reino lendário, como a cidade de Salem residência de Melquisedech. Não há datas e locais precisos existentes, para se situar estas cidades e o TEMPO no qual existiram.

Joseph Needham retém o título de único historiador da ciência chinesa e com esta autoridade afirma que Xia jamais existiu, a não ser, no imaginário folclórico. Os que são partidários da tese de que Xia existiu, exibem uma data - o ano de 2000 a.C.
Dizem as crônicas chinesas que Fo-Hi nasceu de uma virgem, quem banhando-se num lago encontrou uma flor nas suas roupas deixadas nas margens do lago e... concebeu o Mestre do Tempo... por intermédio desta flor. Todas as mitologias descrevem o nascimento dos super-homens usando destas imagens poéticas. F0-Hi veio do céu e a tradição situa o seu nascimento entre 5000 e 3000 anos a.C. Fo-Hi chegou na terra muito bem acompanhado de extraterrestres que empunhavam trompas de marfim. Estes personagens marcaram a sua presença em "baixos relevos" datados de 5000 a.C.
Apesar da dificuldade de se datar um objeto desprovido de carbono com a idade de 5000 anos, outros sistemas de datação, que não o Carbono 14, podem datar com eficiência objetos que tenham a sua origem há bilhões de anos (o limite do Carbono 14 é de 3000 anos), todavia, se desconhece qual foi o sistema empregado pelos chineses para datarem os "baixos relevos" com a idade de 5000 anos.

Os objetos existem e há certas pedras que podem ser datadas entre 40.000 e menos de 50.000 anos a.C. São elas seixos descobertos na China em camadas geológicas, que foram datadas com exatidão. Estes seixos apresentam três linhas: geralmente duas linhas contínuas e uma linha quebrada. Não têm origem natural, foram trabalhadas e são denominadas TRIGRAMAS.

A tradição explica: "Fo-Hi governava todas as coisas sob o céu. Ele olhou para o alto, contemplou as constelações cintilantes formadas pelas estrelas, sem seguida olhou para baixo e considerou as formas que via sobre a terra. Observou as marcas que decoravam as aves e as feras e, mais próximo de si, examinou seu próprio corpo onde descobriu igualmente marcas cósmicas. A partir de tudo isso ele aplicou os oito TRIGRAMAS essenciais de modo a desvelar os fenômenos celestes que se desenvolvem na natureza, e tudo compreender".

TRIGRAMAS: compostos por duas linhas fundamentais: a contínua representa o yang (o céu) e a quebrada o yin (a terra). (Masculino/feminino - as leis dos opostos).

Juntando-se estas linhas em três, resultam oito combinações, os OITO TRIGRAMAS DO IMPERADOR IMORTAL: O MESTRE DO TEMPO!

Jacques Bergier "puxa as orelhas" dos historiadores racistas da ciência "que poderiam muito bem Ter descoberto e mais cedo do que pensam: as leis fundamentais do universo". Albert Einstein, em carta para J.E. Switer (1953) exibe comentário bem semelhante as elocubrações de Jacques Bergier.

Aparições de FO-HI

O "Imperador Imortal", Fo-Hi, costuma aparecer ao longo do tempo nos momentos de gravidade... e os chineses não acreditam na imortalidade física! Dizem que Fo-Hi se conserva jovem, talvez, porque habita um lugar celeste que poderia muito bem ser a lendária Chang Shambhalla, fora das nossas três dimensões, regida pela deusa-mãe do mundo - Kwan Yin - sentada no lotus e guardada pelo feroz "chien de FO" (cão de Fo).

Fo-Hi traz com ele um terrífico fenômeno: o "Quangao", a censura do céu. Ao que parece, este fenômeno deteve a expansão tecnológica da China no século 14 da nossa era. Segundo os especialistas, Fo-Hi nos trouxe o único meio de navegarmos nas ramificações do TEMPO: o I CHING - O LIVRO DAS MUTAÇÕES -

O I CHING
O Livro das Mutações

A base do I Ching é a da física mais moderna!
"A cada ponto do seu percurso, o tempo se separa em ramificações diferentes das quais podemos dispor à vontade".

Este é o pensamento de Everet, Wheeeler e Cooper, físicos modernos. O I Ching orienta a nossa escolha desta ou daquela ramificação do tempo: a mais correta naquela instância. O I Ching surgiu em 1143 a.C. Preso, o duque Wen gastava o seu tempo estudando os TRIGRAMAS de Fo-Hi. Acabou por combina-los em sessenta e quatro HEXAGRAMAS com explicações específicas para cada um deles. Saído da prisão, o duque Wen moveu uma guerra de quinze anos contra o Imperador, venceu esta guerra mas foi nomeado rei depois de morto. Seu filho Tan executou o Imperador, recebendo o título de Duque de Chou. Foi ele quem, após quarenta anos, terminou o trabalho iniciado pelo seu pai e publicou - O Livro das Mutações -.
O sábio Confúcio estudou o livro e alguns especialistas acreditam que ofereceu algumas contribuições aos seus textos. Foi através do I Ching que Leibniz descobriu o cálculo binário, base das matemáticas modernas e do sistema de computadores.
O psicólogo Carl Jung estudou o I Ching com afinco e um dos exemplares modernos deste extraordinário livro (Wilhelm) traz as suas considerações: Jung concluiu que, através do I Ching, podemos receber conselhos muito sábios. O almirantado japonês serviu-se do I Ching para preparar o ataque a Pearl Harbor e Blofeld, quem viveu toda uma vida na China e pertencia ao Serviço de Inteligência, previu, através do Livro das Mutações, todo o desenrolar da guerra sino-indiana de 1962. Blofeld é autor de umas das versões deste livro e, com a sua vivência diária com os chineses, sabia, de antemão, que eles consultavam o I Ching constantemente. Na medicina, alguns médicos americanos fazem uso deste livro para o diagnóstico de certas doenças mentais e para o seu tratamento.
Uma das mais importantes funções do I Ching, sem dúvida, é A CONQUISTA DO TEMPO pelo homem.

O Ritual

O I Ching é consultado após um verdadeiro ritual. O livro deve ser guardado em seda ou tecido precioso, em prateleira que não ultrapasse os ombros do seu possuidor.
No momento da consulta, arma-se um ambiente agradável, com flores e incensos. O consultor deve estar de costas para o nascente, pede-se silêncio e concentração. A consulta é precedida pela escolha das perguntas a serem feitas que deverão ser curtas e objetivas. Não se admite o "ou": - Devo realizar tal negócio "ou" deveria, primeiro, experimentar"...
Não se admitem brincadeiras ou o "repeteco" de perguntas cujas respostas não foram bem aceitas por quem as fez. No caso de dúvidas, repetir a pergunta, mas de forma a mais direta ainda. Feitas as perguntas, segue o jogo de varetas ou moedas, (de preferência as chinesas, furadas) ou os tradicionais talos vegetais. De acordo com este jogo, define-se o HEXAGRAMA correto. As respostas são tão diretas e conclusivas que, às vezes, metem medo. É como se de dentro daquele volume um sábio oculto entre as folhas, fizesse ouvir a sua voz!

Jung apela para a teoria da sincronicidade, expostas simultaneamente por ele e por Wolfgang Pauli - Prêmio Nobel - e grande físico, explicativa do que realmente acontece quando consultamos o I Ching.
Shao Yung também explicou o I Ching, no ano de 1060 da nossa era, e a partir do I Ching expôs a numeração binária, reinventada por Leibniz em 1679 (emprego do 1 e 0, o que possibilitou os computadores). Este chinês de gênio viveu no tempo de uma reaparição de Fo-Hi, onde a ciência chinesa conheceu um avanço extraordinário.
Jung descobriu uma outra maneira de se "tirar" o I Ching: colocar o livro na testa, concentrar-se na pergunta e abrir o livro aleatoriamente. Também funciona, maravilhosamente! Muitas vezes, se a concentração é forte, chegamos a sentir um "formigamento" no local onde se situa a glândula pineal (entre os dois olhos, acima do nariz, ou no chakra AJNA). - Jornal Infinito.

Os avanços

1. O livro "Ensaios Sobre a Fonte do Sonho" de Shen Gua (redescobe3rto recentemente pelo governo chinês);
2. Invenção da imprensa em 1045, nossa era, em tipos móveis, por Bi Sheng;
3. Estudo das estrelas "NOVAS. Até hoje, os nossos astrônomos empregam as "listas de Novas", chinesas, desta época;
4. Século 1 - Descoberta da pólvora de canhão. Fórmula datada de 1044. Para a guerra e para aplicações científicas;
5. Descoberta da bússola magnética - 1044. Atribuída à uma "magia cósmica" ensinada pelo próprio Fo-Hi na sua reaparição no ano de 1000;
6. Aparelho para a medição da intensidade e da direção dos tremores de terra, lindíssimo, feito com "cabeças de dragão" e esferas, colocadas dentro de vaso;
7. No século 11 - obra que trata da indústria do sal e de suas aplicações - o fundo borbulhante do mar;
8. O aço e o seu emprego;
9. 1100 e 145 - exploração do planeta através de frotas de navios, alguns, com capacidade para mil homens. Outra aparição de Fo-Hi, muito descontente e... tudo se detém, como que por encanto!As racionalizações feitas a respeito desta parada são insatisfatórias.
Disse um chinês e com muitas razões - "No século 15 de nossa era, as pontes com os Imortais foram cortadas!"

Os "Sacos Vazios"

As ciências chinesas possuíam o seu "lado secreto": a alquimia (140 a.C. Wei Bo Yang) é um destes lados e foram as ciências secretas que forneceram a acupuntura e as narrativas dos combates com os "sacos Vazios", seres inumanos. Fo-Hi os combateu e eles se foram... mas retornaram. A Tradição não fornece as suas identidades e nem as suas origens. O I Ching, consultado por Xu Lu Zhai (1029-1081) datou a aurora da civilização chinesa a 129600 anos da nossa era. Jacques Bergier supõe que, à falta de outras pesquisas arqueológicas, por exemplo, daria margem à suposição de que Fo-Hi, um MESTRE DO TEMPO, possa ter viajado, não só no seu passado como também no seu futuro e essa data 129600 anos, representaria o limite máximo que ele conseguiu atingir. Deste passado, Fo-Hi forneceu o conhecimento dos fósseis, que nós só viemos a redescobrir no século 19 com Boucher de Perthes. A este respeito, as informações de Fo-Hi constam em documentos chineses desde o ano 1000 da nossa era.

A Civilização do Tempo

A civilização chinesa foi a 1ª Civilização do Tempo e não do espaço.Foram eles que inventaram a relojoaria e outros métodos de se medir O TEMPO. Uma das suas teorias é uma ode ao tempo e um desprezo pelo espaço (3000 anos). Estas teorias têm sido retomadas pelos sábios chineses hodiernos: o espaço é inexistente, os objetos podem atuar uns sobre os outros a distâncias fantásticas.

"Encontra-se, desde a época dos San Guo, enunciados notáveis a respeito da ação à distância, efetuando-se sem contato físico, a enormes intervalos de espaço".
Needham.

Os chineses sabiam neutralizar o Espaço. O Tempo seria o fundamental.

"A significação geral do Tao de Gwan é que não se deveria governar graças a punições, nem graças a coações jurídicas: mas se deveria, perscrutando o porvir, exercer-se uma influência e intervir de maneira a mudar tudo que não opera bem".
Comentários de Wang Bi ao I Ching - ano de 240 d.C.

Fontes:
Relembrando Jacques Bergier
O I Ching - versão de Blofeld


* Ilustração: Claudio Salvio.

 
Outros Cadernos

Realismo Fantástico

Clique em um título para ler a matéria:

• 18/06/04 - O Pensamento Mágico
• 24/06/03 - UFO Em Londrina
• 03/06/03 - Metamorfoses do Vampiro
• 25/09/01 - A história secreta dos espiões psíquicos dos Estados Unidos.
• 09/08/01 - O realismo fantástico de Charles Hoy Fort.


Séries

Charles Fort, Jacques Bergier e Louis Pauwells

• 19/11/01 - Helena Petrovna Blavatsky e As estâncias de Dzyan.
• 30/10/01 - A Confraria dos Homens de Negro.
• 30/10/01 - A Dupla Hélice.
• 30/10/01 - Bèrose (356 a.C - 261 a.C.).
• 30/10/01 - FO-HI - O Iching (o Livro das Mutações).
• 30/10/01 - Melquisedech (Mestres do Tempo).
• 30/10/01 - O Livro de Toth.


A Ufologia e Jacques Vallee.

• 04/04/02 - A teoria da Decepção.
• 27/03/02 - O fiasco de Gulf Breeze: Nº 1.
• 25/03/02 - O caso Dr.Morris K. Jessup.
• 20/03/02 - O caso BentWaters -
• 20/03/02 - O caso Ummo.
• 08/03/02 - O caso Roswell.
• 05/03/02 - O caso Voronezh.
• 01/03/02 - O caso Pontoise.
• 28/02/02 - Entrevista Jacques Vallee - Conclusão.
• 28/02/02 - Entrevista Jacques Vallee.
• 28/02/02 - O Sumário de Bill Cooper - Conclusão.
• 25/02/02 - A grande fofoca.
• 25/02/02 - Notas Importantes.
• 25/02/02 - O colégio invisível nas palavras de um decano.
• 20/02/02 - Área 51 - Conclusão.
• 20/02/02 - Área 51.
• 20/02/02 - Hangar 18.
• 20/02/02 - Majestic 12.
• 20/02/02 - O Sumário de Bill Cooper.
• 20/02/02 - Revelações.
• 20/02/02 - Robert Lazar.
• 03/01/02 - O caso Benewitz.


Shambala

• 12/11/03 - Introdução
• 12/11/03 - Shambala - A Misteriosa Civilização Tibetana
• 12/11/03 - Provas
• 12/11/03 - Os Imortais E O Seu Habitat
• 12/11/03 - Os Antigos Mistérios
• 12/11/03 - Chintamani, Lung Ta e o Dorje
• 12/11/03 - O Reino de Preste João
• 12/11/03 - O Que Nos Diz A História?


   
 
| Copyright 2003 - Todos os direitos reservados ao Jornal Infinito |